Skip to main content

Homenagem a Domingo Villar em O Último Navio

As Piratas de Nabia prestam uma “última homenagem ao navio” a Domingo Villar, recentemente falecido.

“O ferry que fazia a ligação entre os portos de Vigo e Moaña era um catamarã branco, com cerca de vinte metros de comprimento, que estava preso ao navio deixando um rasto de bolhas no mar. Uma faixa azul, mais larga na proa do que na popa, decorava os lados do barco. Podia acomodar setenta passageiros na cabine interior e mais trinta ao ar livre, nos bancos atrás da casa do leme, no convés superior. O nome do navio estava escrito em letras maiúsculas: Pirata de Ons“.

Assim começa a página 110 de “O Último Barco”, de Domingo Villar, publicado pela Editorial Galaxia em 2019. O autor transformou o nosso navio da linha regular Vigo Moaña numa outra personagem do seu romance. Por este motivo, nas Piratas de Nabia quisemos prestar homenagem ao nosso ilustre passageiro. A data da homenagem no último navio será sábado, 28 de maio.

Portada del libro O Último Barco, publicado por Editorial Galaxia

Nesta obra, como sempre, Domingo criou um enredo que envolve desde o início. E como em “A Praia Dos Afogados” e “Ollos de Auga”, desenvolve os enredos no seu cenário vital: desde as praias e o mercado de peixe de Panxón até Monteferro, Patos, a Taberna Eligio, a Escola de Artes e Ofícios, a linha de vapor Moaña-Vigo ou a paróquia de Tirán, em Moaña.

Em Piratas de Nabia, acreditamos que algumas das personagens que aparecem no romance, como o capitão ou o marinheiro “com carácter”, são inspiradas por alguns dos nossos companheiros. Mas, como em qualquer obra de ficção, a realidade e a invenção fazem parte da liberdade do autor.

Uma simples homenagem a Domingo Villar

Nas Piratas de Nabia quisemos prestar homenagem a Domingo Villar, um dos nossos passageiros mais ilustres.

Nas palavras de Susi Otero Acuña, gerente das Piratas de Nabia: “Temos uma dívida de gratidão para com Domingo Villar, que viajou e se inspirou no nosso barco na linha regular, mas, sobretudo, que nos fez viver aventuras em que todos reconhecemos cantos e lugares próximos, nos fez ver a maravilha dos cenários quotidianos e apreciar melhor as vivências de cada dia, a nossa maravilhosa ria, tudo o que temos ao nosso alcance e que, por vezes, não valorizamos”.

Domingo Villar en el barco de Nabia
Domingo Villar en la travesía de la Ría de Vigo a Moaña. Fotografía de RICARDO GROBAS para Faro de Vigo

El último barco de la línea regular Vigo Moaña tendrá a disposición del público un “micro abierto”. Servirá para que todas las personas que lo deseen lean un fragmento, un párrafo o una página, de una de las obras de Domingo Villar.

A Editorial Galaxia participará na “Homenagem ao Último Navio”.

A morte súbita e inesperada de Domingo Villar, ainda muito jovem, deixa milhares de leitores órfãos das aventuras de Leo Caldas. É um momento terrivelmente doloroso para a família e os amigos.

Francisco Castro, diretor da Galaxia, também estará presente na homenagem a Domingo.

A Editorial Galaxia publicou em galego as três novelas do comissário Leo Caldas, personagem principal da obra de Domingo Villar e, a partir de agora, do imaginário coletivo dos seus milhares de leitores em todo o mundo (a sua obra, escrita em galego, foi traduzida para línguas como o russo, o búlgaro e o italiano) e a coletânea de contos “Algúns contos completos”, ilustrada por Carlos Baonza.

 

Escuela Municipal de Artes y Oficios de Vigo, EMAO

A EMAO também participará nesta homenagem. Tal como em “O último barco”, a escola de Vigo, na Avenida García Barbón, é um dos principais cenários do romance.

Xaime Rivas, Mestre de Zanfona, que também aparece nos “agradecimentos” do romance de Domingo, acompanhará a homenagem interpretando diferentes peças musicais no barco para Moaña.

Pode consultar os horários do serviço regular de autocarros Moaña-Vigo-Moaña aqui.

¿Tienes alguna duda?

Nuestro equipo a tu disposición para resolver tus dudas.

× WhatsApp